Polimorfismo C677T no gene da enzima metilenotetrahidrofolato redutase (MTHFR) e o risco de desenvolvimento de câncer cervical

A infecção persistente pelo papilomavírus humano (HPV) de alto risco está associada com o câncer cervical. Apesar da aceitabilidade de seu papel na neoplasia cervical, a presença de HPV não é suficiente para a transformação maligna completa. Em sua maioria, as alterações cervicais induzidas por HPV são passageiras, regredindo espontaneamente em 12 a 36 meses. Desta forma, para que haja a progressão da infecção viral ao câncer, cofatores comportamentais, ambientais e/ou genéticos são requeridos. Em relação aos fatores genéticos envolvidos na progressão e remissão de infecção por HPV e de atipias celulares, genes relacionados ao metabolismo do folato são alvo de muitos estudos. Polimorfismos no gene da metilenotetrahidrofolato redutase (MTHFR), como C677T ou A1298C, vêm sendo associados ao câncer cervical, mas os estudos ainda são controversos e inconsistentes. Neste trabalho, avaliaremos a relação do polimorfismo C677T no gene da enzima MTHFR com a carcinogênese cervical e a infecção pelo HPV. Serão avaliadas 150 amostras de biópsia cervical, divididas em 5 grupos de 30 amostras: cervicite, neoplasia intraepitelial cervical (NIC I, NIC II e NIC III) e carcinoma epidermóide invasor (CEI). A metodologia envolverá a padronização das técnicas de extração de DNA de material parafinado e reação em cadeia da polimerase (PCR), seguida de digestão enzimática (RFLP), para análise do polimorfismo do gene da MTHFR (C677T), além da detecção da infecção pelo HPV. Os resultados obtidos serão correlacionados com os laudos anatomopatológicos e com a expressão imuno-histoquímica da proteína L1/HPV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *