Controle de qualidade interno em laboratório de citopatologia do colo do útero: desempenho do pré escrutínio rápido e da revisão rápida de 100% da detecção de falsos negativos da rotina laboratorial

A garantia da qualidade em um laboratório pode ser definida como monitoramento contínuo de todas as atividades que envolvem os aspectos da função laboratorial, que incluem a administração de pessoal, os procedimentos operacionais e o controle de qualidade, cujo principal objetivo na citopatologia é melhorar a sensibilidade do exame de Papanicolaou em detectar alterações escamosas e glandulares, diminuindo assim as taxas de falso-negativos. Vários métodos de controle interno da qualidade vêm sendo estudados no intuito de melhorar o desempenho deste exame sendo que o objetivo deste projeto é comparar o desempenho do pré-escrutínio rápido e/ou da revisão rápida de 100% como métodos de controle interno de qualidade em laboratório de citopatologia. Este trabalho será desenvolvido no setor de citologia do Laboratório Piloto de Análises Clínicas (LAPAC) da Escola de Farmácia da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Serão incluídos neste projeto os resultados dos métodos de controle interno da qualidade dos esfregaços de mulheres usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), atendidas pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município de Ouro Preto e Mariana, Minas Gerais, Brasil, que se submeterem ao exame citopatológico do colo do útero, no período de Outubro de 2012 a Outubro de 2015. Serão utilizados o pré-escrutínio rápido e a revisão rápida de 100% como métodos de controle interno da qualidade. Cada etapa de leitura da lâmina, pré-escrutínio rápido, escrutínio de rotina, e revisão rápida de 100% será realizada por citologistas diferentes. Em casos de resultados discordantes entre o pré-escrutínio rápido e o escrutínio de rotina, ou entre o escrutínio de rotina e a revisão rápida de 100%, será feito um consenso entre os citologistas para um diagnóstico final. Todos os resultados detectados pelo pré-escrutínio rápido ou pela revisão rápida de 100% que não tiver sido identificado pelo escrutínio de rotina serão considerados falso-negativos. Sendo estes casos o alvo do nosso trabalho, será feita investigação do seguimento destas alterações. Por fim, todos esses dados serão lançados em banco de dados para análise estatística e discussão dos resultados encontrados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *